quinta-feira, 24 de dezembro de 2009



FELIZ NATAL!!!!!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009


A vida no instante presente, sem aperto.




Quando a minha mente está calma, sinto a proteção de meu Deus,
As mãos de minha mãe apertando as minhas.
Sinto que tudo em mim se reorganiza, silenciosamente, o tempo todo.
Que isso tem mais a ver com o meu olhar,
Com a natureza das sementes que rego.
Minha expectativa, sempre ansiosa, de que as coisas sejam diferentes,
Dá lugar a certeza tranquila de que, naquele momento, tudo está onde pode estar.
Em vez de sofrer pelas coisas que ainda não consigo, eu me sinto grata pelas mudanças que já realizei.
E relaxo.
Hoje acordei assim, numa calma claridade, de não desejar nada.
Não esperar nada. Não buscar nada.
Eu me sinto sentada sob a sombra de uma árvore, numa tarde azul sem pressa, os pássaros, as borboletas, voando no céu de doer os olhos.


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009






Há um quentinho cá dentro
Sempre quando ele vem......

terça-feira, 15 de dezembro de 2009




Ai... hoje o meu desejo é essa caminha .....
Perto da janela, 
Chuvinha e frio 
pijaminha e filminho!!!


sábado, 12 de dezembro de 2009


O que será será, e que venha com força.
Com intensidade e alegria.
Com vida e esperança.
O meu objetivo é esquecer o passado ( as coisas ruins, claro), acreditar no futuro e usufruir do presente.
Viver sem rancor, sem mágoa e sem dor.

Manter todos os principios que nasceram comigo. Faze-los prevalecer.

Cada vez mais acredito que a paz que sinto, veio de ter lutado sempre por vincar estes principios em mim, desde sempre.

Ser fiel, não provocar intriga, não cobiçar, não desejar mal.


sexta-feira, 11 de dezembro de 2009



O que contava era o traço mágico que havia imprimido na vida.

e serei assim, sem fim!
com a vida feita de riscos!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009




Deu tchauzinho a menina chorona, mimada e engoliu a garota dos olhos grandes.


Respirava a vida real, com fé, com coragem e seguiu em frente.


Se era preciso cantar.... cantaria mesmo com a boca muda.






Visitando o blog da Claudinha http://vertigemcosmica.blogspot.com/  vi uma campanha bem legal para apoiar a campanha "Earth X global warming" (Terra X aquecimento global), promovida pelo grupo Earth Hour.

A minha laterninha é azul!!!! hehehehe






Crie a sua lanterna no site http://www.earthhour.org/lantern/

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Chove lá fora e aqui dentro...
Quantas mudanças em tão pouco tempo!
Hoje aniversário do irmão caçula, e eu aqui neste chororo.
Como se não existisse o meu paraíso.

Tenho que decidir tudo, em um mês, o rumo da minha vida!!!!!!!
Um adeus dolorido, pesado, severo.


Hoje eu sou O medo e A insegurança.
Sou choro, sou pequena.

sábado, 5 de dezembro de 2009


Faz uma semana 
Que eu deitei no seu peito e ouvi o silêncio do céu

O dia está cinzento da minha janela
Mas vou pintar tudo de azul.
Tudo, tudo, tudo.

É isso mesmo..... é que eu guardei um pouco de você.

Tive medo dessa saudade
Mas eis que

Sai correndo para rever... 
Olhos, sobrancelhas, cílios, nariz, boca e testa.




Minh'alma encantada !!!!!

Avuei otra veiz...

Me deixei solta em você
Canto a noite, observo estrelas 
Mantenho as luzes do quarto acesas
Só queria estar bem. 
E lembrar do sorriso, mais do que bastava.


Respiro baixinho. 
Beijo de caramelo.






Des yeux qui font baiser les miens,
Un rire qui se perd sur sa bouche,
Voilà le portrait sans retouche
De l'homme auquel j'appartiens

[Refrain]
Quand il me prend dans ses bras
Il me parle tout bas,
Je vois la vie en rose.
Il me dit des mots d'amour,
Des mots de tous les jours,
Et ça m'fait quelque chose.
Il est entré dans mon coeur
Une part de bonheur
Dont je connais la cause.
C'est lui pour moi,
Moi pour lui dans la vie,
Il me l'a dit, l'a juré
Pour la vie.
Et dès que je l'apercois
Alors je sens en moi
Mon coeur qui bat

Des nuits d'amour à plus finir
Un grand bonheur qui prend sa place
Des ennuis des chagrins s'effacent
Heureux, heureux à en mourir.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009


O tempo continua deslizando.

O peito cheio, Coração latejando.

É que tenho saudades dentro de mim!

O beijo fácil, sereno, só nosso,
Quente , ardente, dormente,
A noite ao adormecer.

E assim foi.
Só que meu coração parou.




Waves
And then goodbye
I live in a wafer thin dream
I, I can't cry
You know the time
Time's not kind
But I remember the way we were
The slow, slow sad love
I wonder do you miss my love
I know you can't
It's just a wave passing over me
What are these waves
They're coming over me
It must be my destiny
Waves
They're coming by
Goodbye, goodbye, goodbye
Waves
They're coming by
Goodbye, goodbye, goodbye

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009























Tempos de necessidades!!!!!!

Necessidade de ser pequenina, frágil
Preciso de cuidados, preciso de colo

Necessidade de ser conquistada
Suspirar todos os dias, como mágica

Necessidade do cheiro de casa
Da pele de veludo da minha mãe

Necessidade de sonhar
Quero rodar ... rodar .... rodar

Necessidade de alcançar
E te pegar

Necessidade de ser uma grande mulher
De vermelho e nua

Necessidade da delicadeza
Andar de mãos dadas e apertadas

Necessidade de um jardim
 De arvores e borboletas





segunda-feira, 30 de novembro de 2009



Acordei cedo...
O quarto é gordo e preguiçoso,
Coração arrisca:
-Gostei dele!

Custei desprender daquele abraço.
Hoje é segunda-feira
Segunda-vez-partida
Dois suspiros fundos e um breve
Acordei inquieta, parada ali,
Olhos arregalados sem saber o que fazer
Com esse encantavento
Sua voz me puxou pelas mãos
Fiquei ali inerte no meu mundo invertido
Deixando a chuva cair
A saudade na janela
Coração na prateleira
Meia luz
Eu inteira

Faria chover??????




domingo, 29 de novembro de 2009


Estranha sensação!
Todos foram embora
e eu aqui, na sala 
e o cheiro dele
na minha boca.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009



Há dias que eu acordo com seis anos, o cabelo despenteado, os olhos brilhantes como duas estrelas e
cheiro de algodão doce nas mãos.


terça-feira, 24 de novembro de 2009



Estou do outro lado do muro, embora trasparente, esperando.
Sento no sofá, com as mãos no joelho,olhar distante, dia chuvoso
Como quem sente paixão ou sente receio.
Suspiro alto, presa no presente-Presente.
Porque há tantas coisas na vida e tantos momentos para festejar que nos marcam como beijos.
Rendo-me as evidências.
Vivo assim!
Quero viver assim!
Na entrega. Na paz. No caminho do meio.



Quero Viver Vida.
Beber Amor.
Respirar Paixão.



segunda-feira, 23 de novembro de 2009



Foi numa tarde quente de novembro, numa esquina qualquer, confirmei o rosto sereno.
Atravessamos a rua com pressa de sentir, neste encontro de uns quantos minutos.
Coração acelerado, mãos tremulas, suadas.
Nos abraçamos finalmente, fechei os olhos e fiquei ali, por umas horas-segundos.
O primeiro beijo tímido, medroso, esfomeado.
Foi nesta hora que gritávamos para todo mundo, aquilo que é era urgente.

A noite veio.
A demora na escolha também. 
Os sapatos, com salto ou sem salto.
Short , calça ou vestido.
Queria estar bem. Queria estar bonita. Para ele.
Perfumou-se, maquiou a pele clara, prendeu seus cabelos.
Para o encontro as nove e meia.
Era um restaurante lounge.
Exposição de quadros, puff e gente bonita.
Enquanto ajeitava o vestido para junto dos joelhos,
Longas risadas ... bobeirinhas nossa.
Enquanto isso desenhava seus traços ... seus olhos azuis pequeninos.
Estávamos sozinhos e a voz mágica do Bob Dylan,
Rituais de ternuras!
Ainda sinto o cheiro da camisa verde.
Deixei um grampo dos meus cabelos com ele.

E o outro dia veio.....
Passeamos pela praça, mãos dadas, perfume de rosas entre os coqueiros longos.
Ganhamos um céu estrelado, gargalhadas de crianças, cheiro de pipoca salgada e algodão doce.
Vivi todo meu romance.
Fiz voar os sonhos em aviões de papéis coloridos.

Gostei de sentir-me princesa....

Encontrei conforto em seu colo.
Quentinha ali com a cabeça nos seus ombros.
Totalmente protegida do frio que sentia, não no corpo, mas no coração.
Minhas despedidas!!!!!!!
As horas estavam contadas…
O beijo e o silêncio
As coisinhas de dentro falavam, sim, com a voz própria, corriam livremente no meu corpo



Espero-te, com uma fatia de bolo de mel e canela



quinta-feira, 19 de novembro de 2009






Feliz



Simples assim

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Sou do tipo que compra roupas novas e usa no mesmo dia  — e sapatos ou bolsas e seja lá que for.
E caixa de bombons,outro exemplo. Mal vejo a embalagem!

  Achava que isto era culpa de uma ansiedade crônica que me faz querer tudo para já e agora. 
Aí descobri que tenho urgência de viver. 
E isso às vezes assusta.




Tento me conformar e espero seu rei mandar.
Não sei o que Buda faria, mas eu mentalizo o azul-calcinha, "respiro pelo coração" (by menina com uma flor), jogo a curta cabeleira para os lados, cruzo as pernas toda fina   ( do tipo: Não vou me abalar) e repito três vezes que isso não vai me afetar, por todo o sempre, amém. 
Mas por hora, sonhar tem sido bom. 
Asas de anjo, ainda que de papelão.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009


Só queria sentir ....  guardar ... aproveitar esse tempo
Coração calado, emburrado, cansado

Agora pulava corda e gritava
Só pela voz manhosa e o desejo de boa noite
Sorriso que a levava  de volta para casa.


Fazia feição de criança tímida, dentro do corpo grande e crescido

Aquecida, vestida de algodão
Brilho que namorava o peito

Dormência doce que invadia....

Os sonhos de uma menina

Sonhos difíceis de destruir

Aventurava-se! 


Fechava os olhos e sentia, somente sentia!



quarta-feira, 11 de novembro de 2009


Encantada
Pelos olhos risonhos

Ouvindo a voz de dentro, cantarolando, canções de ninar que, há muito não se ouvia.
Canção leve, suave, doce

Caminho de pés descalços sobre o solo-ansioso
Sobre trilhos invisíveis
Guardando no bolso as ternuras lúcidas e mansas
Sentindo o coração pulsando confete multi-cores

Levo comigo, o meu destino em segredo
Sensações inocentes, vibrantes, misteriosas.......
Assim me permito ficar
Quentinha-pequenina-GRANDE!!!!!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

EU





ACORDEI

MANHOSA


SINTO-ME

LEVE

QUERO


VOAR


segunda-feira, 9 de novembro de 2009



Guardei a margarida cor-do-sol em paginas de romances.
Guardei os mimos numa caixinha de veludo azul, perfumei-a e deixei na cabeceira da minha cama para acordar com eles. Para dormir com eles.
Guardei sonhos de olhos abertos em bolinhas de sabão, soprei, para chegar até você.
Guardei risos e gragalhadas em saquinhos de papel colorido e mandei entregar a sua porta.
Guardei mémorias em vasos para crescer coisas do presente, coisas do futuro.
Porque enquanto não chegas....
Guardo tudo aqui, bem juntinho ao coração!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009



Deste de que compreendi meu lugar impossível-possível, nesse mundão de meu Deus,



Os dias se tornaram assim:

Ice-cream.


Hipnotizada por esse estranho prazer.
Onde sinto o coração pulsando,


Ternura-leveza-alegria-humildade-satisfação
Quero poder viver assim, forev-iamente!


Acordei cedo,

Pernas de fora, sandália vermelha e óculos escuros.

E lá fui eu, a garota dos olhos grandes para o centro.

O sol ardia fluxo de gente, que mostravam pra mim, seus sapatos coloridos, suas roupas, suas cabeleiras.
Gente distribuindo fé, outros perdendo.

Uns com tanto e muitos sem nada.

Na banca, jornais e revistas iludem meus olhos, mas sei que nem tudo é mentira.

As vitrines, a moda, o padrão
Lógico que virei a primeira esquina, entrei num brechó, comprei uma blusa rasgada, e um vestido balonê.
Sou tarada por vestidos. 
Voltei para casa,derretida!
E o dia foi assim, empolgação pelas coisas novas.
E para terminar ... o moço dos "infernos" mandou uma mensagem dizendo que estava tomando uma cervejinha com os amigos, enquanto eu?!?! Coitadinha,trabalhando, parecendo, sabe aquelas galinhas na Tv de cachorros??? pois é! Torrando de calor!
O certo é que, ele finalizou meu dia com muitas risadas!
Que risada mais gostosa meu povo!
Por isso vou cantar uma música pra ele:

"Blue, blue, electric blue
That's the colour of my room
Where I will live
Blue, blue "


Ou melhor ..... 





quarta-feira, 4 de novembro de 2009




Eu amo a vida. Mentira????

Não, não é mentira. Essa foi uma das constatações mais fortes dos últimos dias, que acenam com ares de vida nova -  o dia-a-dia cheio de risadas ou a certeza de que a vida é clichezisticamente feita de um dia após o outro.
Que Deus conserve. Amém!

O que sei é que, ainda que tantas coisas continuem iguais, muitas outras têm se revestido de cores diferentes.
E isso tem sido uma grande delícia!

Então olho para trás e percebo o quanto da vida mudou em tão pouco tempo.
Os acasos! Que sempre me deixaram de boca aberta.
Aprendendo sempre.
Só a essência permanece, como aprendi há muitos anos. Sou o mesmo queijim de sempre, as mesmas atrapalhadas, o mesmo humor, a mesma intenção.
Cheia de desejos. Novos problemas. Mas o que seria da vida, afinal?
No momento, sou uma espera na janela. Planos sem cessar e cara a bater. Sou um projeto, um sonho, sou filmes, esperança, preocupação e agrado.
Sou pura pele.
E no meio de todas essas que são, sou ainda gente que quer fazer, quer tomar conta, quer mudança e continuidade.
Quero Deus, quero amigos, quero o bem.
Quero que as coisas tomem seus próprios rumos.

domingo, 1 de novembro de 2009


Dormi com a janela aberta e acordei com o sol e céu azul todinho pra mim....
Fui correr, corri como se fosse devorar o mundo. Uma saudade de casa!
Fiquei pensando nas despedidas do próximo semestre.
O quanto aquele parque, aquela avenida e toda aquela gente me fariam falta!
E as minhas pipocas?!?! Pri-Dai-Ka! Todas queridas e guardadas a sete chaves.... todas imensamente minhas!
Recebi um pequeno recado de um velho amor! fiquei feliz! Aquele meu amor que ficou no passado....e que eu guardo com tanto carinho!
Fiquei carente, bem sei que é reflexo de domingo.
Domingo é um dia que eu reservo para toda minha Carência!
Sabe?!?! Tenho um super-coador de imbecis que está funcionando que é uma beleza, mas as vezes dá uma vontade de ficar com qualquer um em troca de um abraço quentinho e um olhar sincero!
Por favor não estou menosprezando ninguém, mas ultimamente estou com uma preguiça de homens!! Aff!!


Mas enfim, vou levando a vida como se o mundo fosse feito pra mim, com minhas cores preferidas e gosto de brigadeiro!
Nossa estou cansada!Dormiria por 35 belas adormecidas.
Mas agora vou para Augusta, tomar umas cervejinhas com D.Priscilla e junto muitas risadas!
Rá!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009



Engolia a voz do Bob Dylan e de recheio os ruídos da rua
Andava de mansinho, distraída ventania,
Enfeitada de xadrez no caminho via
 O encerrar do encanto
O bom dia e a boa sorte
-Olharlinguagemdecifrada-
Sentiu o coração sossegado de certeza,
Suspirou profundamente numa despedida tão lenta como a formação de uma nuvem
Nuvem duma brancura doce-tapioca, sem sentimento, sem rancor, cheio de nada.
Tudo encaixotado como lembrança

Deliciava sua nova fase
Saudava o dia, pela alegria!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Mais um pouquinho de Milan Kundera:
"Em trabalhos práticos de física, qualquer aluno pode fazer experimentos para verificar a exatidão de uma hipótese científica. Mas o homem, porque não tem senão uma vida, não tem nenhuma possibilidade de verificar a hipótese através de experimentos, de maneira que não saberá nunca se errou ou acertou ao obedecer a um sentimento".



Engraçado é que, não só hoje, mas em várias situações eu me pego pensando isso.
 

Quando foi que eu errei??? E quando foi que eu acertei??? rsrs
Bom mesmo é tomar atitude e não fechar os olhos!
Eis o efeito de Toda Nua E Bem Vinda!

terça-feira, 27 de outubro de 2009



E eu tenho a mania de travar diálogos imaginários com as pessoas.
Pensando no que eu diria, as possíveis respostas, e minhas contra-respostas.
E hoje, no caminho, vim discutindo ferrenhamente com duas pessoas.
Imaginei que seria bom deixar que elas soubessem as coisas que penso.
Mudei de idéia.
Porque mortos não conversam.
Cansei. Essa é a verdade. De "amigos" que perdem a identidade. E eu sou assim. Quando amo, amo. Mas quando me decepciono...........
Ainda mais com a intensidade que eu gostava!
Não é bonito matar pessoas. Mas hoje eu matei duas aqui dentro.
Antas-paralíticas!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009


E eu tô com aquela felicidadezinha irritante de quem acha tudo lindo... hoje eu tô muito Alice e a boca transborda palavras.
E não, não aconteceu nada demais... e nem tem a ver com estar com alguém mesmo... aliás, tem sim... estou comigo.Um tempinho atrás, estava sentada com as meninas no sofá da sala e falamos de coisas boas, de ruins,contamos os bafão de cada dia... e rimos, rimos,porque nunca vi gente que conta tanta bobagem alheia.Minha irmã passando uns dias aqui, fez um mexidinho delicioso de escarola, ovo e arroz.
E agora estou aqui, depois de um banho fresco, com os cabelos molhados, são 00:16, amanhã tenho aula de manhã, mas tenho vontade de inventar canções.
Passo longe, muito longe, dos versinhos "meirelescos", que eles não são mesmo o meu forte, firmo nessa minha realidade inventada, que é linda (como estou caetana!!!) Algumas são até tristes, mas são minhas.
As vezes a gente tem que tomar atitudes pensando mesmo no nosso próprio umbigo.
mesmo que ninguém entenda.
mesmo que pareçamos ridículos.
mesmo que tenhamos medo.
porque a vida é agora e é nossa!

Hoje a Pri postou no facebook um texto bem legal do (Milan Kundera):
"pois só se tem uma vida e não se pode compará-la com vidas anteriores nem corrigi-las nas posteriores. Tudo é vivido pela primeira vez, como se um ator entrasse em cena sem ter ensaiado. A vida é sempre um esboço, um esboço de nada, um esboço sem quadro. Einmal ist keinmal, uma vez é nunca."

quarta-feira, 21 de outubro de 2009


Cheia de energia e cheia de cor! Tudo começa a ganhar forma de novo... é tão bom sentir este doce aproximar das coisas boas, do tempo sereno, da paz desejada...
De rir e de sorrir,
Saber o que tenho dentro de mim, tantos sonhos ainda por realizar.
Gosto que me digam que pareço uma adolescente, porque ainda sonho com o príncipe encantado. Gosto do Sol e das Estrelas. Amo a Lua .
Gosto de dançar Beatles sozinha na sala, arrastar pé, mexer os ombros, em frente a janela, para que alguém me veja, assim.
Gosto de correr, ver o lago, as flores, do gosto do verde das arvores, de estar ali pisando no meu paraíso...
Gosto do amor, de me entregar, de ser impulsiva e de paixões.
Do sorriso dos meus sobrinhos, do amor da minha irmã, da bondade da minha mãe.
Gosto das minhas amigas, das de sempre e para sempre. Gosto de fazer novos amigos, mas conservar sempre os "velhos". Gosto da parte boa da minha infância, porque as partes ruins agente descarta. Gosto de ter saudades da adolescência, das descobertas, do aprendizado, das crises e dos amores.
Gosto de sentir que tenho dentro de mim, muito Amor e que um dia, quando eu menos esperar, alguém vai reparar, de verdade, em mim...

segunda-feira, 19 de outubro de 2009


Para que servem as palavras?
Hoje:
abraçar... aconchegar... acompanhar...




.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009


Saio como quem monta boi brabo.

Quero o vestido mais rodado,

Contar de suas cores num giro.

Rodopiar num raro efeito.

No sentido que esvoaça........

Gritar palavras na ventosidade!!!!!!

Expandir vontades........



Preciso de espaço,

Cresci muito,
Nessa vida-viva-cidade

Mesmo nos dias em que o sol adormece

Olho para dentro, olho para fora, uma piscadela e bam!

Veio-me a maldita pergunta:- para onde você vai?


Gulosa essa minha mente!!!!!



quinta-feira, 1 de outubro de 2009



É inverno? Primavera frio e chuva????

O dia é cinzento.

Mas sabe, não me sinto cinza.

Sinto-me ultra-leve-cores!

Na mente, no instante, na minha âncora.

Em casa sem janela e nenhuma porta fechada,

Extravaso pelo corredor.

Salva.

Estranho....

Eu não quero ouvir as vozes do mundo

Nem saber o que nele acontece!!!!!

Estranha!!!!

Tenho palavras para sonhar....


quinta-feira, 24 de setembro de 2009


Meleca de frio, vento e chuva!!!


Fechei os olhos.......
O sol brilha forte, céu azul cristalino.
Sai de casa, com short florido, blusa branca.
Talvez com um chapéu, certamente com óculos escuros.
Embaixo do braço carrego uma revista qualquer, na mão, a cadeira de praia. Na outra mão, um guarda-sol. Absoluta certeza ..... um pequeno isopor com a cervagelada no outro ombro.
Atravesso a rua.
Tiro a sandália na areia.
E me deixo ficar.
Um dia.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009



Andar pela Paulista,parar num buteco, trio tocando hino do Corinthians, encher a cara, cerveja bem gelada,fazer xixi com muita vontade e achar que está gozando, fumar um cigarrim, tomar coca-cola, dormir junto com um gato, acordar de bom-humor, banho bem quentinho,comer bem,comer chocolate, andar pela domingos de Morais com MGMT, vento frio no rosto, cachicol quentinho no pescoço,ler um bom livro, entender o que está estudando, comer risole de milho verde e requeijão,suco de uva,rir com pessoas engraçadas,biscoito Bono de chocolate,ligar pra mãe,ter saudades, pensar em cada um com muito carinho, muito amor, estou morrendo de saudades.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009



Adorando a sinceridade,


As palavras não ditas-ditas


Na cara, sem a menor frescura


Admiro sua franqueza, o que você realmente é!


E agora mais do que nunca, sento na janela e espero esfriar.
Existem sensações em mim.


-Assumir que eu vou dormir sozinha, eu e o Barrela, quentinhos!!!!
Fazendo cafuné em mim mesma, sem choro e nem vela.

Saudar o presente, tão presente.

Sublinhar minhas urgências,
Ignorar o que não se encaixa!





terça-feira, 15 de setembro de 2009






Vai cinzenta e fresquinha, São Paulo. A pedir sol.
E eu aqui pensando que
A maioria de mim
Queria continuar com os mimos de dentro
Então a razão veio e proibiu
Antes que houvessem ecos


Durante toda a manhã de domingo
Fui a flor impaciente por abrir
Forçadamente, a tarde veio, coloquei-a dentro dos dias extremamente lúcidos.
Sim sim sim, tudo bem
Mentiras sinceras me interessam
Então retoco o olhar....

Recebendo embrulhado em papel seda
Uma proposta do além:
- Se me ajudar a pisar no chão que está lá fora, eu te mostro o que está afogado em seus olhos!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009


Invadida de possibilidades que dormiam em mim,
Uma sensação de que nada vai dar errado,
Que o acaso vai me proteger.


Já aqui há tempos, vinte e sete tempos exatos, brincando no futuro.

É um preenchimento de querer......
A vida agora, desenhada em linhas celestiais, entre mundos.
E o que fica aberto é o amor.
Este sentimento glitter, que invade e derrama.
Agradecida imensamente,
Pelos gigantes que apareceram no seu coração.


Encanto de vida!

Nas passagens vejo vantagens.
Nas viagens perdidas, nas viagens encontradas.
Insisto em cantar, em penetrar,
Neste meu EU Forever.


Contente com os tons diversificados.
No VALOR sem medida da experiência pessoal,
Feita de perfume, vento e suor.
Sugerindo sempre sonhos,

Desejando a felicidade em alguma esquina de nuvens,
Isso me soa impecável, quando o que se Quer quando se é humano.


Tem muitos pássaros voando ao meu redor agora.
Deve ser essa angustiante vontade de voar.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009


Quando você abre os braços,

Agarra sua liberdade,

O corpo flui,

Todo manchado de alegria.

Então você resolve se soltar,

Espalhar pela rua afora,

Deslizando como bailarina.

Está chegando a primavera!!!!!!

Gostinho suave de melancia,

Ventinho no pescoço.

Amando o céu !!!!!

No coração, a família,

No peito, muita coragem.

De repente me vi em flores,

Totalmente perfumada,


Colorida.



quarta-feira, 26 de agosto de 2009


Fiquei surpresa pela manhã...

O sol quente, claro e bem vindo.



BoRbOlEtAs flutuantes.



No chão-campim-purpurino

Eu me vi vestida de terra

De água, de flores.



Assobiaaaaaaava............................................. Infantil.



Num afago dócil,

Mordia a casca dos sonhos!

Sonhos pintados de azul.





terça-feira, 25 de agosto de 2009


Inferno astral, é o assunto de terça!
Abraçou os joelhos,
Piscou pela lente......
Vinte e seis primaveras !!!!!! ....... e alguns dias pingados.......
Um mês inteiro na mão.
E um único dia .... um dia, no meio do ano. O mais empolgante ... mais do que quando passei no teste de direção....
Parece que essas vinte e seis voltas com os pés descalços ficaram miúdos.
Inferno astral???? que merda é essa???? Não quero nem saber!!!!
Lambia o inverno .



Moldou uma outra forma de força!!!
Benzádeus!!
E isso durou 1:h e 20 min.
As 7:30h da manhã.
Faladora e chuvosa.


Mordia ..... e falava com a boca cheia .
Escorria pelo ralo cada dia......
Sopros de beijos,
Com paradas no semáforo.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009




Numa terra seca,

Com sorrisos e sem pirueta.


Busco beirar poesias ....

sábado, 22 de agosto de 2009

Vento cortante.... pela manhã ......
E um pouco de Vinicius ........

Para Viver Um Grande Amor

Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.


quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Santa carambola......

Desinfeccionei a melancolia!!

Sorrisos.......

Quantos sorrisos involuntários ......

Quando li, morri de rir,


Logo corri, sentei na janela,


Beijei o gato Barrela.

Senti frio.

Mas não me importava.

Queria ver o vento,

Gentil e doce.

Vento, aliás,

Que me faz escapar pra não sei onde,

Ou me invade, não sei como.


Encho os pulmões de ar fresco.

Degusto cada instante.


Intensidade minha, entende????




Ainda ali parada, sentada, faminta.
Descaminhos --> caminhos --> caminho.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009




O dia só podia ter começado assim:
Sem pressa.....
Céu limpo ... lindo ... AZUL!!!!
Rejuvenesço!
Canto bem alto: Ela é minha menina.......
E danço freneticamente.....
Pan ... ran ... ran.....ran.....

Juro que tentei dormir.....

Mas, foi um sonho furta-cor.....

Perderia-me ali mesmo,
Nas ternuras lúcidas e mansas,
Naqueles olhos de lua miguante.

Assim .....

RE - CI - PRO - CI - DA - DE

Manhosa,Quentinha,Pequenina e GRANDE!

Pisei..... pisei .... de mansinho nas calçadas da Vila Mariana......
Foi o piano .... Tinha que ser ..... de Nina Simone....

*

terça-feira, 11 de agosto de 2009

As vezes penso que o meu destino é um "prego".....
Quantos invernos,solidão, misérias conheci!
E se...........................
E se.......................................

E se..........
E se...........

E se ..................................
Merda!!!!!!
Instantâneas incertezas.

Tagarelando por dentro,
Fiquei assim esta manhã,
Justificando ....

No sofá,
Acendo um cigarro.
Um grito secreto:
Um silêncio que ninguém tira!!!!!!

De cada alma que existe em mim......
De cada dia pequeno de vida......



Hey! Mr. Tambourine Man, play a song for me,
I'm not sleepy and there is no place I'm going to.
Hey! Mr. Tambourine Man, play a song for me,
In the jingle jungle morning I'll come followin' you.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Fosse o que fosse,
O impulso veio e se agarrou em mim.
Que diabos é essa melancolia????

A menina com uma flor semeia poesia,
No meu canto esquerdo.
Li e derramei sonhos pra dentro de casa
Comecei a seguir suas migalhas de pão sem fermento
Seu rastro de estrela.

Coloquei um band-aid, pronto,
Vou deixar sarar.
Clareou o dia!!!!!
Escolhi o esmalte mais cintilante,
Grampos ..... muitos grampos
No cabelo,
Gelatina pra comer
Olá prazer!!!!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Foi forte a influência do sol.
Uma vontade de andar pela avenida.......
Como eu amo!!!!
Seu ruído, Suas pessoas,Os sotaques
Suas cores, Suas dores.

Imenso, complexo, desigual.

Vontade de querer sair de mim
Flutuar, dançar, rodopiar.

Esses dias que se repetem por covardia,
Por covardia!!!!!

É engraçado eu gostar tanto da transparência,
Das coisas como elas são.

Ouço com a doçura em mim
A agonia do meu coração.
Acalmo.
Teimo em vesti-lo
Com tortas-alegrias.

Parar por um instante.

Uma vez li em alguma porta de banheiro:
“Tudo passa
Tudo sempre passará”

Amarro a agonia e não deixo soltar.


Em dias assim,
Fico alegre como quem tem chorado muito.....
Dia sorrindo inteiramente para mim,
Nítido,
Azul..... azul infinito.

Sentada serena,
Braços brancos bem abertos,
Pernas livres de quem "não pensa em nada".

Deixo o sol entrar
Secar o mofo.

Eu que fico confusa, querendo entender,
Não sei o quê, e nem como.

E se for por incompetência dos astros???
E o tal mistério de que falam????

Fiquei fitando a vida ali....
Agarrando as idades,
Experimentando as molas para adaptar-me.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Sentimentos corriqueiros em si mesma.

Vestiu-se, pegou seu celular e permaneceu ali por alguns minutos.
Olhou as fotografias na parede,
Coração apertado,
Saudades do colo mãe.

Há dez meses aquele quarto tem sido a cidade de seus pensamentos.
Feito de boas risadas ... mesmo no meio do desânimo.
Apertou logo os fones e engoliu a música.
Um pouco de carinho.

Encontrou na memória,
O dia que em que traçou seu destino,
O beijo de boa sorte,
O ônibus partindo cheio de esperanças.....

Levantou-se sacudiu o vestido e começou a rir:
- Esses momentos de solidão e de auto-suficiência que se entrelaçam e se misturam tão bem...................
Carregada de si ...... Encorajada pelo silêncio ... Prosseguiu.......

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Acordei com uma vontade de novo dia
São 8:45 da manhã
Ibirapuera eu vou
Antes de sair:
- Que inferno de frio é esse.

Dia friorento, preguiçoso, cinzento

Meus pés correm com energia
Textura crocante
Da areia molhada

Coração batendo violentamente
Ofegante

Lábios entreabertos
Pele corada ... quente .. úmida

Larguei as torturas do estômago
E me rendi.........

Abri os olhos mágicos
Sem controlar
A alegria íntima
Daquela visão ampla e brilhante
Em virtude do verde cheiro

Deliciei-me com a poesia
Com o lago
Com o vento cortante ....

Uma atmosfera inteiramente agradável
Sensível

Sorri vagamente e incompreensivelmente
Como se estivesse no céu
Um paraíso de bondade e beleza
Não poluído pelo turbilhão da grande cidade

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Foi na tarde de hoje
No meio do supermercado, mundarel de pessoas, conversas e música
Foi naquele instante
Foi quando escutei os pássaros, o mar, a voz suave
Da música waves (Nouvelle Vague)
Quando desejei sentir o cheiro da minha mãe
Foi neste vazio
Que meu coração rasgou
Que meus olhos resolveram chorar
Foi quando violei o barulho
Foi quando as pessoas se tornaram invisíveis

Foi nessa hora
Que enganei minha condição
Num malabarismo violento

Escondi a bagagem pesada

Quando senti meu nariz numa fornalha
Implorando por um vento
Desviei derrapando meus pensamentos
Antes que a lagrima escorresse