segunda-feira, 30 de novembro de 2009



Acordei cedo...
O quarto é gordo e preguiçoso,
Coração arrisca:
-Gostei dele!

Custei desprender daquele abraço.
Hoje é segunda-feira
Segunda-vez-partida
Dois suspiros fundos e um breve
Acordei inquieta, parada ali,
Olhos arregalados sem saber o que fazer
Com esse encantavento
Sua voz me puxou pelas mãos
Fiquei ali inerte no meu mundo invertido
Deixando a chuva cair
A saudade na janela
Coração na prateleira
Meia luz
Eu inteira

Faria chover??????




domingo, 29 de novembro de 2009


Estranha sensação!
Todos foram embora
e eu aqui, na sala 
e o cheiro dele
na minha boca.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009



Há dias que eu acordo com seis anos, o cabelo despenteado, os olhos brilhantes como duas estrelas e
cheiro de algodão doce nas mãos.


terça-feira, 24 de novembro de 2009



Estou do outro lado do muro, embora trasparente, esperando.
Sento no sofá, com as mãos no joelho,olhar distante, dia chuvoso
Como quem sente paixão ou sente receio.
Suspiro alto, presa no presente-Presente.
Porque há tantas coisas na vida e tantos momentos para festejar que nos marcam como beijos.
Rendo-me as evidências.
Vivo assim!
Quero viver assim!
Na entrega. Na paz. No caminho do meio.



Quero Viver Vida.
Beber Amor.
Respirar Paixão.



segunda-feira, 23 de novembro de 2009



Foi numa tarde quente de novembro, numa esquina qualquer, confirmei o rosto sereno.
Atravessamos a rua com pressa de sentir, neste encontro de uns quantos minutos.
Coração acelerado, mãos tremulas, suadas.
Nos abraçamos finalmente, fechei os olhos e fiquei ali, por umas horas-segundos.
O primeiro beijo tímido, medroso, esfomeado.
Foi nesta hora que gritávamos para todo mundo, aquilo que é era urgente.

A noite veio.
A demora na escolha também. 
Os sapatos, com salto ou sem salto.
Short , calça ou vestido.
Queria estar bem. Queria estar bonita. Para ele.
Perfumou-se, maquiou a pele clara, prendeu seus cabelos.
Para o encontro as nove e meia.
Era um restaurante lounge.
Exposição de quadros, puff e gente bonita.
Enquanto ajeitava o vestido para junto dos joelhos,
Longas risadas ... bobeirinhas nossa.
Enquanto isso desenhava seus traços ... seus olhos azuis pequeninos.
Estávamos sozinhos e a voz mágica do Bob Dylan,
Rituais de ternuras!
Ainda sinto o cheiro da camisa verde.
Deixei um grampo dos meus cabelos com ele.

E o outro dia veio.....
Passeamos pela praça, mãos dadas, perfume de rosas entre os coqueiros longos.
Ganhamos um céu estrelado, gargalhadas de crianças, cheiro de pipoca salgada e algodão doce.
Vivi todo meu romance.
Fiz voar os sonhos em aviões de papéis coloridos.

Gostei de sentir-me princesa....

Encontrei conforto em seu colo.
Quentinha ali com a cabeça nos seus ombros.
Totalmente protegida do frio que sentia, não no corpo, mas no coração.
Minhas despedidas!!!!!!!
As horas estavam contadas…
O beijo e o silêncio
As coisinhas de dentro falavam, sim, com a voz própria, corriam livremente no meu corpo



Espero-te, com uma fatia de bolo de mel e canela



quinta-feira, 19 de novembro de 2009






Feliz



Simples assim

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Sou do tipo que compra roupas novas e usa no mesmo dia  — e sapatos ou bolsas e seja lá que for.
E caixa de bombons,outro exemplo. Mal vejo a embalagem!

  Achava que isto era culpa de uma ansiedade crônica que me faz querer tudo para já e agora. 
Aí descobri que tenho urgência de viver. 
E isso às vezes assusta.




Tento me conformar e espero seu rei mandar.
Não sei o que Buda faria, mas eu mentalizo o azul-calcinha, "respiro pelo coração" (by menina com uma flor), jogo a curta cabeleira para os lados, cruzo as pernas toda fina   ( do tipo: Não vou me abalar) e repito três vezes que isso não vai me afetar, por todo o sempre, amém. 
Mas por hora, sonhar tem sido bom. 
Asas de anjo, ainda que de papelão.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009


Só queria sentir ....  guardar ... aproveitar esse tempo
Coração calado, emburrado, cansado

Agora pulava corda e gritava
Só pela voz manhosa e o desejo de boa noite
Sorriso que a levava  de volta para casa.


Fazia feição de criança tímida, dentro do corpo grande e crescido

Aquecida, vestida de algodão
Brilho que namorava o peito

Dormência doce que invadia....

Os sonhos de uma menina

Sonhos difíceis de destruir

Aventurava-se! 


Fechava os olhos e sentia, somente sentia!



quarta-feira, 11 de novembro de 2009


Encantada
Pelos olhos risonhos

Ouvindo a voz de dentro, cantarolando, canções de ninar que, há muito não se ouvia.
Canção leve, suave, doce

Caminho de pés descalços sobre o solo-ansioso
Sobre trilhos invisíveis
Guardando no bolso as ternuras lúcidas e mansas
Sentindo o coração pulsando confete multi-cores

Levo comigo, o meu destino em segredo
Sensações inocentes, vibrantes, misteriosas.......
Assim me permito ficar
Quentinha-pequenina-GRANDE!!!!!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

EU





ACORDEI

MANHOSA


SINTO-ME

LEVE

QUERO


VOAR


segunda-feira, 9 de novembro de 2009



Guardei a margarida cor-do-sol em paginas de romances.
Guardei os mimos numa caixinha de veludo azul, perfumei-a e deixei na cabeceira da minha cama para acordar com eles. Para dormir com eles.
Guardei sonhos de olhos abertos em bolinhas de sabão, soprei, para chegar até você.
Guardei risos e gragalhadas em saquinhos de papel colorido e mandei entregar a sua porta.
Guardei mémorias em vasos para crescer coisas do presente, coisas do futuro.
Porque enquanto não chegas....
Guardo tudo aqui, bem juntinho ao coração!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009



Deste de que compreendi meu lugar impossível-possível, nesse mundão de meu Deus,



Os dias se tornaram assim:

Ice-cream.


Hipnotizada por esse estranho prazer.
Onde sinto o coração pulsando,


Ternura-leveza-alegria-humildade-satisfação
Quero poder viver assim, forev-iamente!


Acordei cedo,

Pernas de fora, sandália vermelha e óculos escuros.

E lá fui eu, a garota dos olhos grandes para o centro.

O sol ardia fluxo de gente, que mostravam pra mim, seus sapatos coloridos, suas roupas, suas cabeleiras.
Gente distribuindo fé, outros perdendo.

Uns com tanto e muitos sem nada.

Na banca, jornais e revistas iludem meus olhos, mas sei que nem tudo é mentira.

As vitrines, a moda, o padrão
Lógico que virei a primeira esquina, entrei num brechó, comprei uma blusa rasgada, e um vestido balonê.
Sou tarada por vestidos. 
Voltei para casa,derretida!
E o dia foi assim, empolgação pelas coisas novas.
E para terminar ... o moço dos "infernos" mandou uma mensagem dizendo que estava tomando uma cervejinha com os amigos, enquanto eu?!?! Coitadinha,trabalhando, parecendo, sabe aquelas galinhas na Tv de cachorros??? pois é! Torrando de calor!
O certo é que, ele finalizou meu dia com muitas risadas!
Que risada mais gostosa meu povo!
Por isso vou cantar uma música pra ele:

"Blue, blue, electric blue
That's the colour of my room
Where I will live
Blue, blue "


Ou melhor ..... 





quarta-feira, 4 de novembro de 2009




Eu amo a vida. Mentira????

Não, não é mentira. Essa foi uma das constatações mais fortes dos últimos dias, que acenam com ares de vida nova -  o dia-a-dia cheio de risadas ou a certeza de que a vida é clichezisticamente feita de um dia após o outro.
Que Deus conserve. Amém!

O que sei é que, ainda que tantas coisas continuem iguais, muitas outras têm se revestido de cores diferentes.
E isso tem sido uma grande delícia!

Então olho para trás e percebo o quanto da vida mudou em tão pouco tempo.
Os acasos! Que sempre me deixaram de boca aberta.
Aprendendo sempre.
Só a essência permanece, como aprendi há muitos anos. Sou o mesmo queijim de sempre, as mesmas atrapalhadas, o mesmo humor, a mesma intenção.
Cheia de desejos. Novos problemas. Mas o que seria da vida, afinal?
No momento, sou uma espera na janela. Planos sem cessar e cara a bater. Sou um projeto, um sonho, sou filmes, esperança, preocupação e agrado.
Sou pura pele.
E no meio de todas essas que são, sou ainda gente que quer fazer, quer tomar conta, quer mudança e continuidade.
Quero Deus, quero amigos, quero o bem.
Quero que as coisas tomem seus próprios rumos.

domingo, 1 de novembro de 2009


Dormi com a janela aberta e acordei com o sol e céu azul todinho pra mim....
Fui correr, corri como se fosse devorar o mundo. Uma saudade de casa!
Fiquei pensando nas despedidas do próximo semestre.
O quanto aquele parque, aquela avenida e toda aquela gente me fariam falta!
E as minhas pipocas?!?! Pri-Dai-Ka! Todas queridas e guardadas a sete chaves.... todas imensamente minhas!
Recebi um pequeno recado de um velho amor! fiquei feliz! Aquele meu amor que ficou no passado....e que eu guardo com tanto carinho!
Fiquei carente, bem sei que é reflexo de domingo.
Domingo é um dia que eu reservo para toda minha Carência!
Sabe?!?! Tenho um super-coador de imbecis que está funcionando que é uma beleza, mas as vezes dá uma vontade de ficar com qualquer um em troca de um abraço quentinho e um olhar sincero!
Por favor não estou menosprezando ninguém, mas ultimamente estou com uma preguiça de homens!! Aff!!


Mas enfim, vou levando a vida como se o mundo fosse feito pra mim, com minhas cores preferidas e gosto de brigadeiro!
Nossa estou cansada!Dormiria por 35 belas adormecidas.
Mas agora vou para Augusta, tomar umas cervejinhas com D.Priscilla e junto muitas risadas!
Rá!