quarta-feira, 26 de agosto de 2009


Fiquei surpresa pela manhã...

O sol quente, claro e bem vindo.



BoRbOlEtAs flutuantes.



No chão-campim-purpurino

Eu me vi vestida de terra

De água, de flores.



Assobiaaaaaaava............................................. Infantil.



Num afago dócil,

Mordia a casca dos sonhos!

Sonhos pintados de azul.





terça-feira, 25 de agosto de 2009


Inferno astral, é o assunto de terça!
Abraçou os joelhos,
Piscou pela lente......
Vinte e seis primaveras !!!!!! ....... e alguns dias pingados.......
Um mês inteiro na mão.
E um único dia .... um dia, no meio do ano. O mais empolgante ... mais do que quando passei no teste de direção....
Parece que essas vinte e seis voltas com os pés descalços ficaram miúdos.
Inferno astral???? que merda é essa???? Não quero nem saber!!!!
Lambia o inverno .



Moldou uma outra forma de força!!!
Benzádeus!!
E isso durou 1:h e 20 min.
As 7:30h da manhã.
Faladora e chuvosa.


Mordia ..... e falava com a boca cheia .
Escorria pelo ralo cada dia......
Sopros de beijos,
Com paradas no semáforo.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009




Numa terra seca,

Com sorrisos e sem pirueta.


Busco beirar poesias ....

sábado, 22 de agosto de 2009

Vento cortante.... pela manhã ......
E um pouco de Vinicius ........

Para Viver Um Grande Amor

Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.


quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Santa carambola......

Desinfeccionei a melancolia!!

Sorrisos.......

Quantos sorrisos involuntários ......

Quando li, morri de rir,


Logo corri, sentei na janela,


Beijei o gato Barrela.

Senti frio.

Mas não me importava.

Queria ver o vento,

Gentil e doce.

Vento, aliás,

Que me faz escapar pra não sei onde,

Ou me invade, não sei como.


Encho os pulmões de ar fresco.

Degusto cada instante.


Intensidade minha, entende????




Ainda ali parada, sentada, faminta.
Descaminhos --> caminhos --> caminho.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009




O dia só podia ter começado assim:
Sem pressa.....
Céu limpo ... lindo ... AZUL!!!!
Rejuvenesço!
Canto bem alto: Ela é minha menina.......
E danço freneticamente.....
Pan ... ran ... ran.....ran.....

Juro que tentei dormir.....

Mas, foi um sonho furta-cor.....

Perderia-me ali mesmo,
Nas ternuras lúcidas e mansas,
Naqueles olhos de lua miguante.

Assim .....

RE - CI - PRO - CI - DA - DE

Manhosa,Quentinha,Pequenina e GRANDE!

Pisei..... pisei .... de mansinho nas calçadas da Vila Mariana......
Foi o piano .... Tinha que ser ..... de Nina Simone....

*

terça-feira, 11 de agosto de 2009

As vezes penso que o meu destino é um "prego".....
Quantos invernos,solidão, misérias conheci!
E se...........................
E se.......................................

E se..........
E se...........

E se ..................................
Merda!!!!!!
Instantâneas incertezas.

Tagarelando por dentro,
Fiquei assim esta manhã,
Justificando ....

No sofá,
Acendo um cigarro.
Um grito secreto:
Um silêncio que ninguém tira!!!!!!

De cada alma que existe em mim......
De cada dia pequeno de vida......



Hey! Mr. Tambourine Man, play a song for me,
I'm not sleepy and there is no place I'm going to.
Hey! Mr. Tambourine Man, play a song for me,
In the jingle jungle morning I'll come followin' you.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Fosse o que fosse,
O impulso veio e se agarrou em mim.
Que diabos é essa melancolia????

A menina com uma flor semeia poesia,
No meu canto esquerdo.
Li e derramei sonhos pra dentro de casa
Comecei a seguir suas migalhas de pão sem fermento
Seu rastro de estrela.

Coloquei um band-aid, pronto,
Vou deixar sarar.
Clareou o dia!!!!!
Escolhi o esmalte mais cintilante,
Grampos ..... muitos grampos
No cabelo,
Gelatina pra comer
Olá prazer!!!!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Foi forte a influência do sol.
Uma vontade de andar pela avenida.......
Como eu amo!!!!
Seu ruído, Suas pessoas,Os sotaques
Suas cores, Suas dores.

Imenso, complexo, desigual.

Vontade de querer sair de mim
Flutuar, dançar, rodopiar.

Esses dias que se repetem por covardia,
Por covardia!!!!!

É engraçado eu gostar tanto da transparência,
Das coisas como elas são.

Ouço com a doçura em mim
A agonia do meu coração.
Acalmo.
Teimo em vesti-lo
Com tortas-alegrias.

Parar por um instante.

Uma vez li em alguma porta de banheiro:
“Tudo passa
Tudo sempre passará”

Amarro a agonia e não deixo soltar.


Em dias assim,
Fico alegre como quem tem chorado muito.....
Dia sorrindo inteiramente para mim,
Nítido,
Azul..... azul infinito.

Sentada serena,
Braços brancos bem abertos,
Pernas livres de quem "não pensa em nada".

Deixo o sol entrar
Secar o mofo.

Eu que fico confusa, querendo entender,
Não sei o quê, e nem como.

E se for por incompetência dos astros???
E o tal mistério de que falam????

Fiquei fitando a vida ali....
Agarrando as idades,
Experimentando as molas para adaptar-me.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Sentimentos corriqueiros em si mesma.

Vestiu-se, pegou seu celular e permaneceu ali por alguns minutos.
Olhou as fotografias na parede,
Coração apertado,
Saudades do colo mãe.

Há dez meses aquele quarto tem sido a cidade de seus pensamentos.
Feito de boas risadas ... mesmo no meio do desânimo.
Apertou logo os fones e engoliu a música.
Um pouco de carinho.

Encontrou na memória,
O dia que em que traçou seu destino,
O beijo de boa sorte,
O ônibus partindo cheio de esperanças.....

Levantou-se sacudiu o vestido e começou a rir:
- Esses momentos de solidão e de auto-suficiência que se entrelaçam e se misturam tão bem...................
Carregada de si ...... Encorajada pelo silêncio ... Prosseguiu.......