quinta-feira, 17 de março de 2011

Vai Sem Despedida




Acordou sentindo pequenina

Levantou, pés descalços

Enquanto lavava seu rosto

Agarrava as palavras frias de despedida

De repente ela acordou

Pegou uma caixinha e o enterrou

Junto com as inquietações, fomes, perguntas

O sonho é DELA

Vestiu o vestido mais bonito

E foi viver

Abriu a porta

E ganhou de presente um céu azul




Nenhum comentário:

Postar um comentário