sábado, 19 de março de 2011

Precioso Sonho



O sonho tinha luz azul
Havia um homem de camisa branca, cabelos molhados, sentado em uma mesa de bar
Minhas pernas tremiam, ia em direção a ele com urgência do encontro,
Peguei em seu ombro e então eu vi os olhos mais meigos que um homem poderia ter
Homem de sorriso tímido com mãos pequenas
Que havia sofrido uma perda, mas ganhou de Deus um valioso presente
Compartilhamos um mundo que queríamos ter, um mundo simples
Tinha um coração grande de poeta
Ele morava em um quarto amarelo
Entre livros, filmes, desenhos,
Um violão e um peixe
Uma mesa redonda e uma maquina de escrever
Ele tinha o dom de me deixar em silêncio
Envolvida em uma esfera terna, de proteção
Deitei em seu peito
E abri feridas e sentimentos que eu havia trancado no peito
Eu olhava tanto dentro dos olhos dele
Era mágico!!!!!! Era meu sonho de menina!!!!!

Havia uma coisa incomum nas mãos dele
Era engraçado, onde ele tocava deixava rastro de calor

Adormeci, mas despertei, olhei e ele estava sentado escrevendo
A luz de vela, seu rosto iluminado
Então pensei o quanto queria ama-lo, sem medo, sem pressa

Estávamos na rua, era carnaval
Gente bonita, marchinha, cerveja
Dançamos e ele me beijou,
Gotas de chuva caia no meu rosto
De repente tudo ficou negro, meu coração parou
Mantive os olhos fechados e uma voz parecida com o Topo Gigio sussurrou no meu ouvido
...... Acorda!!!!! Foi um sonho de poucos minutos .... Levanta vai ver o mundo lá fora
Ainda sentia o calor das mãos dele sobre as minhas
Forcei meus olhos a se manter fechados procurando o sonho que parecia eterno
Mas a voz que antes sussurrava agora gritava
ACORDAAAAAAAAA

Abri os olhos, soluçando de dor,
Precisava respirar, estava tão cansada






Ahora me levanto
De esta cama
Ahora
Abro la ventana
Y entra la luz
Con el viento
Ahora te siento
Y estas tan lejos
De aquí

Si un día te vas
Y ya no vuelves más
Si un día me voy
Y ya no vuelvo yo

Que largo es el mundo
Es infinito
Ayer te tuve
En mis brazos
Y hoy
Como un grano de arena
En algún suelo ajeno
Estas escondido de mí

Si un día te vas
Y ya no vuelves más
Si un día me voy
Y ya no vuelvo yo

Que grán silencio
Todo en suspenso
Que vértigo de no verte
Retumbo
Como una campana
Abro la ventana
Y entras tú
Entras tú...

Nenhum comentário:

Postar um comentário