domingo, 25 de abril de 2010

Do Dolorido Fez-se Vento

Sei lá no que deu!
Do dolorido fez-se vento
Vento que brinca em minha nuca
Escorre entre os fios negresco
E se esconde debaixo da cama

A cor do dia transparente
Impregnado de azul
Feito meus sonhos

Um rouxinol
De canto melodioso, suave, vibrante

Minhas asas cresceram ... já posso voar!



Nenhum comentário:

Postar um comentário