quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010


Foi de manhã, quando
Dobrava minhas roupas, guardava meus perfumes, limpava a gaveta.
Disse tanto ao meu coração naquele instante
Que olharia nos olhos da propria vida
Sem pressa, com ternura e  inteireza
Sentir cada textura de experiencia
Com gratidão
Dei de cara com as minhas primeiras horas do ano, novo
Pela janela, recebi um convite do ceu
Resolvi sair logo para não desperdiçar o azul
Antes um beijo na testa da mãe
Como era linda e cheia
Saiu como que não lhe faltava nada!

2 comentários:

  1. Belíssimo texto, muita sensibilidade.
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  2. Amiga.

    Há dias em que a alegria
    presente em nós
    atinge tamanha plenitude
    que tudo é motivo
    para sentir a vida
    em suas mais vibrantes cores.

    Um final de semana cheio de inspiração.

    ResponderExcluir